Conheça o crossfit, o treino militar que está na moda

 

O nome da atividade é o casamento de "cross", que significa "cruzar, ultrapassar", com "fit", ou "em forma". A aula de ginástica que nasceu na década de 1990 nos EUA  tem como segredo do crescimento a promessa de uma atividade menos monótona que a academia, que dá um desempenho físico de atleta e o corpo de um modelo em menos de uma hora diária.

Enquanto a musculação isola o movimento de um músculo para o fortalecer, o crossfit trabalha vários grupos de músculo ao mesmo tempo, com exercícios como pular corda e levantar barras com peso sobre a cabeça, quase sem intervalo.



Pelo preparo que consideram completo, equipes de polícia e do Exército elegeram a modalidade seu exercício oficial. O espírito espartano está até nas roupas dos praticantes, que usam camisetas com frases como "Nunca ninguém se afogou no próprio suor" e "Não se preocupe, você vai desmaiar antes de morrer".

Como crossfit é uma marca, quem usa esse nome precisa pagar direitos de uso para uma empresa americana que a patenteou. O treinamento oficial para professores é dado por essa mesma empresa. As turmas até janeiro estão esgotadas. O curso dura 16 horas e, nos EUA, qualquer maior de 17 anos pode se credenciar e, em dois dias, estar apto a dar aula. Já no Brasil, é preciso ter diploma de ensino superior em algum curso ligado a esporte.

Mas o crossfit é para qualquer um? É uma atividade física intensa, indicada somente para pessoas que já tenham um bom preparo físico. Por ser uma modalidade que utiliza uma série de movimentos de alta intensidade e com graus de exigência muito variados, não é uma atividade segura para todo e qualquer praticante. O Confef não recomenda a prática a pessoas sedentárias nem a quem já teve lesões graves de ossos e de músculos, ou nasceu com desvios posturais significativos.

Uma palavra que passou a ser atrelada ao crossfit (geralmente por quem é contra a prática) é rabdomiólise, uma lesão das fibras musculares, cujo conteúdo vai para o sangue e compromete o rim. De fato, isso pode acontecer. Mas não só em praticantes do crossfit. Pode acontecer na musculação, maratonas, triatlon  com pessoas que se exercitam acima da sua capacidade física, principalmente se não tiverem uma alimentação e descanso adequados. Casos de rabdomiólise são raros

É a nova tendencia, uma verdadeira febre nas academias.