Esteira, bicicleta ou transport: saiba qual a melhor opção



Os três exercícios são boas atividades dentro da academia para quem quer melhorar o condicionamento cardiovascular e emagrecer. No entanto, todos têm vantagens e desvantagens que devem ser levadas em consideração antes de escolher em qual deles você vai suar a camisa.

Atividade Calorias (média por 30 min) Prós Contras
Esteira 350 cal em 30 minutos de caminhada rápida - envolve um número maior de grupos musculares
- variação da intensidade e da inclinação
- mais eficaz para a perda de peso
provoca muito impacto
Transport 270 cal em 30 minutos de exercício - trabalha bastante a barriga, os glúteos e as coxas
- permite que a pessoa faça o exercício para trás, aumentando o gasto calórico
- exige um condicionamento físico maior
- não gasta tantas calorias como a esteira
Bicicleta ergométrica 200 cal em 30 minutos de pedalada - trabalha bastante os músculos inferiores do abdômen, as coxas e as panturrilhas
- não exige muito condicionamento físico
- não provoca impacto
- distribui melhor o peso do corpo 
queima uma quantidade reduzida de calorias

5 aulas de Academia para você fazer em casa
4 aulas de Academia + bônus de aula de Treinamento Funcional
5 aulas de Jump + bônus

Esteira

A esteira é a campeã na queima de calorias. Isso porque ela envolve mais grupos musculares do que os outros dois. Ela ainda possibilita a variação de velocidade e inclinação, permitindo que o praticante realize o chamado treino intervalado. Segundo alguns estudos, ela é capaz de queimar até 36% a mais de gordura do que um exercício contínuo e forte, pois o metabolismo se acelera para adaptar o corpo à mudança de ritmo.

A esteira ainda ajuda a combater a osteoporose. Isso acontece graças ao impacto provocado pelo exercício que estimula as células que formam os ossos. No entanto, se o quadro já estiver instalado, o ideal é consultar o médico antes de começar a correr ou caminhar na esteira.
Mas esse impacto pode ser um problema para quem tem dores ou já sofreu alguma lesão na coluna, nos joelhos ou nos tornozelos ou está muito acima do peso. Por isso, nesse caso o melhor é se exercitar em um dos outros dois aparelhos.

Transport

A turma que já tem um preparo físico bom pode contabilizar algumas vantagens malhando no transport, que também é conhecido como elíptico. Como o nome indica, os pedais fazem um movimento em forma de elipse. É como se fosse uma espécie de caminhada sem impacto. Ele proporciona um gasto calórico maior do que a bicicleta ergométrica, pois envolve os braços, as pernas e o abdômen. Outro ponto a favor nesse caso é que o movimento pode ser feito para trás, o que ajuda a torrar mais calorias, pois, como o movimento não é natural, o corpo precisa se esforçar mais para se adaptar a ele. Uma pesquisa realizada na Universidade de Nevada, nos Estados Unidos, mostrou que andar ao contrário ainda reduz as dores na lombar, o que vale também no caso do transport. Se a ideia é deixar a barriga, os glúteos e as coxas firmes, ele ganha disparado dos dois outros aparelhos.

Bicicleta ergométrica

Já a bicicleta ergométrica é a menos indicada para quem quer perder peso. Trabalhos científicos mostram que o seu gasto calórico chega a ser 40% menor em relação aos exercícios praticados na esteira durante o mesmo período e com a mesma intensidade. Mas ela pode ficar mais eficaz se a pessoa não pedalar com o corpo apoiado sobre o guidão. A bike também oferece outros benefícios: trabalha bastante os músculos inferiores do abdômen, as coxas e as panturrilhas. E por não provocar impacto e nem exigir muito condicionamento físico, é a melhor opção para os sedentários, as pessoas com problemas nas articulações e as grávidas que não têm o costume de praticar outros tipos de atividade física. Ela também ajuda a distribuir melhor o peso corporal, já que oferece no apoio do selim e nos pedais.

De qualquer forma, antes de começar a mover os pedais, fale com o seu personal ou o professor da academia. Peça para que ele o ensine a fazer os ajustes no aparelho, o que ajuda a evitar lesões, e solicite dicas de como deixar o treino mais puxado, sem oferecer riscos de acordo com as suas possibilidades. Dependendo do distúrbio que a pessoa tenha na coluna, o ideal é optar pela bicicleta horizontal, que permite que ela se exercite sentada e com as costas apoiadas.